Home Ouvidoria Voluntariado Trabalhe na ISCAL Intranet Mapa do Site
A ISCAL
Unidades da ISCAL
Convênios de Saúde
Serviços
Pastoral da Saúde
Ensino e Pesquisa
Voluntariado e   Comunidade
Fornecedores
Imprensa
Fale Conosco
NotÝcias
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto
Tamanho do texto

Alunos do  Mater Ter plantam girassóis contra a violência infantil 
 
18 de maio – Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes

O amarelo dos girassóis promete iluminar o gramado do Centro de Educação Mater Ter Admirabilis para lembrar que crianças e adolescentes precisam de proteção. O plantio da flor foi feito por alunos da Escola em adesão à campanha nacional de combate e prevenção à violência sexual infantil, Faça Bonito – Proteja nossas crianças e adolescentes. A flor é um símbolo da campanha e representa o cuidado e proteção que se deve ter com as meninas e meninos do Brasil. 

Durante todo o mês de maio, os estudantes e funcionários foram estimulados a pensar e discutir o tema na Escola, seguindo o lema da campanha nacional: Esquecer é permitir, lembrar é combater. Como resultado, foi realizado um concurso de frases sobre a beleza de ser criança e a importância de protegê-las.  Daiane Patrícia Massi, do curso técnico em Enfermagem, é a autora da frase ganhadora: Crianças são como girassóis procurando luz. E que essa luz sejamos nós, protegendo-as sempre. 

“Nosso objetivo é que ao acompanharmos o crescimento e aflorar dos girassóis, cresçam também as discussões sobre a violência contra as crianças, ajudando a transformar assim o futuro deles”, afirma a coordenadora de Cursos, Ana Letícia Peicher Castilho. 

Alunos plantaram girassóis para lembrar do dia
 
CASO ARACELI - O dia 18 de maio é uma conquista que demarca a luta pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes no território brasileiro. Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o Caso Araceli. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune. (fonte: www.facabonito.org.br)

...........
Assessoria de Comunicação | ISCAL
FOTOS: Arquivo ISCAL

 

 

Pesquisar:
 
 
 
Rua Senador Souza Naves, 441 - 15°andar • CEP 86010-160 • Londrina/PR