Home Ouvidoria Voluntariado Trabalhe na ISCAL Intranet Mapa do Site
A ISCAL
Unidades da ISCAL
Convênios de Saúde
Serviços
Pastoral da Saúde
Ensino e Pesquisa
Voluntariado e   Comunidade
Fornecedores
Imprensa
Fale Conosco
NotÝcias
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto
Tamanho do texto

29/04/2011

Dia contra a hipertensão atrai 400 pessoas no SAS-Londrina
Ação comemorou o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão com o tema Quem tem bom coração combate a hipertensão. Eu sou 12 por 8.

Cerca de 45 milhões de brasileiros têm hipertensão. No mundo, 14% das causas de morte estão relacionadas direta ou indiretamente com a pressão alta. Os dados de pesquisa da Sociedade Brasileira de Hipertensão, foram transmitidos pelo cardiologista Luciano Canônico durante palestra dias atrás. A palestra fez parte do Dia contra a Hipertensão promovido pelo Programa de Educação em Saúde do SAS-Londrina.

Funcionários também aderiram a campanha

“Quem não cuida da pressão alta perde 16 anos de vida. Se [a pessoa] fosse viver 80 anos, viverá em torno de 63 anos e meio”, afirma Canônico. Entre as causas da doença, Canônico destacou o cigarro. Segundo ele, ao longo dos anos o ato de fumar prejudica as artérias. “[Quando a pessoa] traga o cigarro acontece um espasmo nas artérias, que ficam enrijecidas. Se a pessoa tragar o cigarro várias vezes por dia, 365 dias por ano, pode apresentar [anos depois] o quadro de hipertensão”, explica.

De acordo com o cardiologista, o tratamento para hipertensão é personalizado e cada pessoa deve tomar somente os medicamentos indicados pelo seu médico. “É importante não usar o remédio de outros. Se a pessoa tem só hipertensão é uma coisa. Se tem hipertensão e diabetes já é outro tratamento”, esclarece. Na palestra, Canônico também destacou a Estudantes aferem a pressão do público presenteimportância da atividade física, controle do peso, diminuição do uso de sal e da gordura na alimentação como forma de prevenir a hipertensão.

Ação pela saúde - Professores e estudantes do Centro de Educação Profissional Mater Ter Admirabilis passaram todo o dia aferindo a pressão dos interessados. A faturista Luciana Perine, 35 anos, aproveitou a oportunidade. Grávida de 16 semanas, a pressão dela estava em 11 por 7, índice considerado normal. “Agora sim, que sou gestante, vou tomar mais cuidado com a alimentação para prevenir”, diz.Violinista encanta a platéia antes da palestra

 

O Dia contra a Hipertensão também teve um momento de descontração proporcionada pela música do violonista Fernando Godinho que é músico da orquestra sinfônica da Universidade Estadual de Londrina (Osuel) e é voluntário no Hospital Mater Dei. 

 

 SERVIÇO - As Unidades Básicas de Saúde (UBS) fazem a aferição de pressão gratuitamente, acompanhando o paciente por sete dias. Nos casos de suspeita de hipertensão, o paciente é orientado a procurar um médico.

….......................
Fonte: Assessoria de Imprensa/ISCAL
Fotos: Arquivo/ISCAL

 

 
 

 

 

Pesquisar:
 
 
 
Rua Senador Souza Naves, 441 - 15°andar • CEP 86010-160 • Londrina/PR